Make your own free website on Tripod.com
 
     
 

Sábado, Agosto 31, 2002

 
COMUNICADO IMPORTANTE

Não vou mais matar este blog. Coitado dele, fiquei com pena. Entretanto, não quero mais continuar responsável por ele. Como vocês sabem, não sou criativo, não tenho boas idéias, não sou sarcástico o suficiente, não sei escrever direito e, ainda por cima, sequer sou um blogger. Portanto, para ser sincero, nem sei o que estou fazendo aqui escrevendo estes posts.

É um erro supor que qualquer um pode ter um blog. Não, blog é coisa para quem tem as manhas, é coisa para gente profissional. Senão, fica imprestável. E eu, como não sou um dos virtuosos capazes de ter um bom blog, abandono o barco.

Mas, eis que surge a questão: para quem deixar o meu blog?

Bom, o indicado, preferencialmente, deveria ser genial, escrever bem, ser criativo e ter grandes idéais. Deveria também gostar de internet, ter tempo disponível, ser antenado, conhecer o mundo dos blogs, ter bons contatos e conhecer o Paulo Talarico.

E, convenhamos, quem se enquadra com perfeição em todos os itens acima? Quem? Quem????

Sim, meus caros, a reposta é óbvia: O Nishi!!!!!

Quer alguém mais habilitado para ter um blog, com predicados tão bons?

Portanto, este blog está sendo oficialmente doado ao Nishi. Ele é o dono do pedaço agora. Poderá fazer o que quiser com ele.

Assim, a partir de hoje, eu não tenho mais nada a ver com este blog. Daqui há algumas horas, inclusive, estou passar uns tempos na Itália, onde pretendo morar numa aldeia, nos grotões da Sicília, aprendendo os segredos da máfia, e bem longe de qualquer contato com tecnologia ou informática.

Portanto, este blog agora pertence ao Nishi. Pressionem-no para que ele continue escrevendo.

O BLOG SAI DO TELHADO PARA ENTRAR NO OFURÔ.


Adeus.


Segunda-feira, Agosto 26, 2002

 
Quem ganha um link permanente, à direita, para leitura freqüente, é o Oba Fofia, excelente blog da Reca, que reflete, em forma de ótimos textos, a genialidade da família Montenegro. Os posts sobre sorvete de creme, o limbo dos guarda-chuvas e o cheiro dos bebês, entre outros, são imperdíveis.


Sexta-feira, Agosto 23, 2002

 
Já que este blog está moribundo, ele pode comportar textos requentados. Assim, estou republicando, a pedidos, a tal história do banheiro, postada no começo do ano, e que estava inacessível num arquivo enguiçado qualquer:

PLACA DE BANHEIRO

Por falar em escritório, em qualquer um deles há sempre coisas que, por mais que você tente, não consegue entender.

Há cerca de 2 anos, trabalhava num escritório cujo o banheiro masculino tinha uma placa metálica, até bonita, com os dizeres, em letras garrafais: "FAVOR NÃO URINAR NO CHÃO".

Sempre que entrava e lia aquilo, pensava: "Cazzo, se um cliente entra e vê isso, que tipo de gente ele vai achar que trabalha aqui?".

A resposta me parecia óbvia. É claro que o sujeito iria pensar: “Se esses caras não são capazes nem de mijar dentro da privada, como vão conseguir fazer um trabalho decente?”

Ou seja, é evidente que uma placa como aquela, colocada no banheiro de uso comum dos funcionários (diga-se de passagem, praticamente todos com nível universitário), além de humilhante, era extremamente queima-filme. E os chefões, talvez por estarem alheios, utilizando suas nobres porcelanas e toalhas asseadas, talvez por pura cretinice, nem se tocavam daquilo. E placa ficava lá, reduzindo todos a meros incontinentes sem mira.

Um dia, fiquei de saco cheio de ver aquela placa, que afrontava a minha condição de ser humano civilizado. Deste modo, imbuído de espírito revolucionário, tal qual um Zapata das latrinas, um Che Guevara do mictório, resolvi tomar uma atitude. Fui num destes lugares que confeccionam placas e pedi para fazerem uma placa metálica idêntica àquela do banheiro, com o mesmo tamanho e formatação. Entretanto, ao invés dos dizeres da outra, a placa que mandei fazer, com as mesmas letras garrafais, dizia: "FAVOR RETIRAR O PÊNIS DA CUECA ANTES DE COMEÇAR A URINAR".

O cara da loja estranhou, e custou uma certa grana, mas valeu a pena.

Neste mesmo dia, aproveitei o fato de ser o último a sair, e quando já não havia mais ninguém no escritório, troquei as placas.

Dia seguinte, para minha alegria, foi aquela confusão. Os primeiros que iam ao banheiro (tem sempre aqueles que, antes de começar o expediente, vão dar aquela aliviada), saiam gargalhando, e começaram a contar pro resto do pessoal. Em certa altura, a história correu e já estavam praticamente fazendo fila para ver a nova placa. Eis que, atento ao rebuliço, um daqueles malas da administração, que sempre aproveitam qualquer oportunidade para puxar o saco do chefe, resolveu contar a história para um dos big bosses.

Momentos de tensão. Todos voltaram às suas respectivas salas e baias, permanecendo à espreita, para ver o que aconteceria. Eis que, de repente, até mesmo o déspota todo-poderoso, dono do escritório, levantou de seu trono e foi, em pessoa, até o outro trono, bem menos nobre, conferir, com seus próprios olhos, o motivo da celeuma. Incrível como quanto menor mentalidade, maior proporções toma um problema banal.

Cerca de meia hora depois, saiu uma circular furiosa e ao mesmo tempo hilária (pena que não guardei uma cópia) dizendo, entre outras coisas, aquela lenga-lenga de que aquilo não era uma atitude digna de um profissional sério, que era um desrespeito com a empresa e os demais colegas, que seria aberta uma sindicância (!) para apurar fatos e descobrir os responsáveis, que os mesmos seriam exemplarmente punidos etc...

Como eu tinha certeza que ia dar rolo, evidentemente tomei todas as precauções, e não deixei nenhuma pista de que eu tinha sido o pai da criança. Portanto, depois de um certo tempo, não se achou um culpado, e a tal "sindicância" foi abandonada. E, até hoje, salvo por um ou outro amigo muito próximos, ninguém ficou sabendo da minha autoria.

De qualquer maneira, assim que retiraram a minha placa, não colocaram nenhuma outra no lugar. E, até onde sei, assim permanece. O que, para mim, é uma vitória.

Embora eu nem esteja mais no referido escritório, fico, ao menos, satisfeito em saber que, em algum momento, em algum lugar, contribui para que pessoas pudessem satisfazer suas necessidades fisiológicas primárias de forma mais digna.


Quarta-feira, Agosto 21, 2002

 
Nishi, relaxa.





Terça-feira, Agosto 20, 2002

 
Depois de vários meses, meu amigo Albertin, que, assim como eu, não é blogger mas tem um blog, voltou a escrever. Legal.


Segunda-feira, Agosto 19, 2002

 
Você conhece este indivíduo?



copyright:Américo



Be afraid. Be very afraid.....


Sábado, Agosto 17, 2002

 
Hoje o melhor e maior piloto de todos os tempos completa, quem diria, meio século de vida.

Parabéns, Piquet. Os blogs que estão para morrer te saúdam.


Quarta-feira, Agosto 14, 2002

 
NOITE MORTA

Manuel Bandeira

Noite morta.
Junto ao poste de iluminação
Os sapos engolem mosquitos.

Ninguém passa na estrada.
Nem um bêbado.

No entanto há seguramente por ela uma procissão de sombras.
Sombras de todos os que passaram.
Os que ainda vivem e os que já morreram.

O córrego chora.

A voz da noite . . .

(Não desta noite, mas de outra maior.)


Terça-feira, Agosto 06, 2002

 
Como alguns já notaram, minha intenção é acabar com este blog. Entretanto, estranhamente, este blog tem um número de visitas diárias bem razoável. O que, em verdade, chega a ser surpreendente, especialmente se levarmos em conta que, no início, apenas 3 ou 4 amigos chegados sabiam de sua existência.

Portanto, para que este blog não tenha um fim repentino e injustificado, deixando os seus poucos porém fiéis leitores a ver navios, decidi dar um fim a este blog apenas quando a audiência for nula. Ou seja, quando ninguém mais, por livre e espontânea vontade, quiser acessá-lo.

E, para que isso ocorra, resolvi tornar este um blog chato. Aliás, não apenas chato, mas muito chato, chato de doer, chato de carteirinha, chato profissional, enfim, “chato de galochas”, como diria o Nishi.

Tipo, não que antes este blog não fosse chato. Sim, sempre foi meio chato. Mas, agora, a coisa vai ficar séria. Se tudo der certo, em breve, ninguém vai querer sequer ouvir falar deste blog, de tão chato que será.

Eis, portanto, o motivo da enquete. Peço ao caro leitor que me ajude a determinar o que é realmente chato de ser lido em blogs. Enfim, quais são os posts que fazem o leitor ter ânsias instantâneas de vômito, que fazem o leitor ter convulsões de repulsa, que o levam a fechar o browser automaticamente, sem sequer ler o que está escrito.

Com o resultado da pesquisa, tenho certeza que terei bons dados e parâmetros para fazer deste o blog mais chato de todos os tempos. Portanto, peço encarecidamente a sua colaboração, caro leitor. Inclusive, caso alguém conheça outras formas de deixar um blog chato, peço também que me informe, seja pelos comentários abaixo, seja através do e-mail.

Sendo assim, reitero meu pedido de ajuda e agradeço a sua participação e colaboração desde já!

Atenciosamente,

Luis F. C. Almeida.


Sexta-feira, Agosto 02, 2002

 
O blog continua no telhado. Entretanto, em virtude das recentes e intensas reclamações nos comentários do post sobre o show da Rosana, e para que não me acusem de sonegar informações preciosas, escrevo excepcionalmente este post.

Ontem bati um papo com o Magalhães, gerente do já lendário Café Teatro Uranus, que me deu duas importantes notícias:

- Na próxima quarta-feira, dia 07/08, haverá um show de Ariane Miranda, a cover oficial da Carmen Miranda, com direito a banda, músicas, figurinos, coreografias, patrocínio da Nossa Caixa, renda para o Hospital do Câncer tudo mais. Trash? Não, imagina. Se eu vou? Adivinhem....

- Esta, embora ainda não esteja confirmada, é sensacional, especialmente para os que perderam na última vez: Está em negociação mais uma mini-temporada de show de adivinhem quem?.......Dela mesma, Rosana!!! Segundo o Magalhães, a previsão é que os shows ocorram em meados de setembro. Não há, entretanto, qualquer informação sobre um nova performance do sósia do Raul Seixas em moletom vermelho. Bem, vamos torcer. Qualquer novidade ou detalhe, informo em outro post extraordinário.

Hypes, trashers, indies, modernos e afins, preparem-se!

Ps: Para quem não conhece, o Café Teatro Uranus, caberé bizarro/bacana/cult, fica na Barra Funda, na Rua Carvalho de Mendonça, nº 40, perto do Minhocão. Vale a visita, posto que, entre outras características, deve ser o único lugar de São Paulo com um chafariz no meio da pista.


eis o descrente:

metalinguagem
desenbuche
ICQ 12729738

arquivos:
clique aqui
ratifico:
Fabula Web
Fabula-Lounge
Martini Diaries
Netuske
Milharal
Celacanto
Palatur
Texto livre
Just Lament Official
HP
Oba Fofia
Ctrl+Alt+Foda-se
Morfina
Catarro Verde
Mundo Perfeito
Bolsa Amarela
Miolo Mole
estatísticas:

This page is powered by Blogger. Isn't yours?